quinta-feira, maio 18, 2006

A Viagem

Era madrugada...cedo, muito cedo, aquela hora que uma pessoa pensa que está cheio de tempo e não se irá atrasar para chegar ao trabalho... deviam ser umas, 9:13 da manhã, sei lá.

Viajava eu pacatamente de comboio, numa micro-viagem de 38 minutos entre Vila Franca e Entre Campos. O sol raiava, batia quente na janela, a meu lado, o Tejo querendo beijar a carruagem do comboio que a 3 metros passava, Tejo onde o astro-rei reluzia e batia-me nos olhos, mal os conseguia abrir.

Ao fundo, planícies verdes, castanhas, feno tratado à espera de ser levado até os animais, a paisagem ia passando, assim como as fábricas velhas, abandonadas, estações de comboio grafitadas, vandalizadas, no fundo, o que é bom de se ver.

Há paginas tantas (epá, o que eu gosto desta expressão, faz-me lembrar, não sei, o que é certo é que não a uso muito, mas quando a uso, fico contente, e a pensar nela…é que não faz sentido nenhum, podia ser “há tantas paginas”…mas isso são outros dava aqui pano pa mangas….olha, esta é outra, “pano pa mangas”, mas já tem algum significado, bom, continuando…) e a velocidade cruzeiro (outra) com um sonido muito presente .. “tum-tum” “tum-tum” do comboio e a cabeça colada no vidro, e qual não é o meu espanto / pânico, vejo o Alfa Pendular a fazer uma ultrapassagem ao comboio ao qual eu seguia pacificamente…”Fonix, ‘tão sapicar?” arfo eu, vendo o maquinista debruçado para a frente sob os controles da máquina, a morder a língua com uma cara de raiva como que a dizer: “muahaha (maquiavelicando o riso) vou-te ultrapassar óh boi” e a fazer “oIo” …pensei…”mau! Tu queres ver que o gajo está em contra mão? Ou somos nós?” e, num intervalo de de 19x10^-9 segundos veio-me á memoria todos os momentos bons da vida pelos quais já passei, até que em cólera, com o batimento cardíaco assim assim, olhei para a janela oposta á qual me situava, e reparei em mais duas linhas para o sentido oposto…respirei fundo e proferi para mim mesmo como que em desabafo:

“F#d@-Sé, ‘táva a ver”

PS: a cena do maquinista é mentira! Foi congeminado por mim :D

2 comentários:

ai o uaralho!!! disse...

Olha lá, anda mesmo a fazer-te mal andar por essas terras, volta cá para cima que isso sim é de Homem!!
Quanto ao episódio do comboio, falaste ai em feno para os animais, hummm, por acaso não te terás confundido e andaste a formar outras ervas que não feno?!?!?!! Deixa-me adivinhar o maquinista do teu comboio ia a catar "sou maquinista (eu sei que é camionista) sou o maior, nesta minha ferrovia onde sou rei e sou cantor, la la la la la..."
Volta cá para cima que estás aperdoado!! :P :D

kell disse...

e pronto....anda uma pessoa no ensino superior n sei a fazer o k!!!

ai ai ai